O assunto é Prisão de ventre: Eu tenho???

A prisão de ventre é definida pela diminuição da frequência das evacuações e/ou a presença de fezes endurecidas, secas, com esforço excessivo para evacuar ou ainda com sensação de evacuação incompleta (sensação de que a evacuação não foi suficiente).

Geralmente, a frequência normal da evacuação pode ir de duas evacuações por dia até três evacuações por semana. Assim, uma pessoa que evacue a cada três dias, cujas fezes sejam macias ou moldadas, sem esforço excessivo para expulsa-las ou sem sensação de evacuação incompleta, é considerada sem prisão de ventre (normal). Já outra pessoa que evacue todos os dias, mas as evacuações sejam com esforço, ou com sensação de evacuação incompleta, e as fezes sejam largas, secas ou endurecidas, é considerada com constipação intestinal (prisão de ventre).

A grande maioria das prisões de ventre acontecem por alimentação inadequada, ou seja, porque comemos muitos alimentos que “prendem”, porque comemos poucos alimentos com fibras (bagaços e vegetais folhosos), porque tomamos pouca água durante o dia, ou por uma combinação destes fatores.

Como tratar a prisão de ventre?
A maioria das constipações intestinais, são tratadas com a mudança dos hábitos alimentares e do estilo de vida.

A diminuição do consumo de carboidratos e o aumento do consumo de fibras e água, assim como a prática regular de atividade física, resolvem o problema na grande maioria dos pacientes. Uma orientação geral de dieta para melhorar a prisão de ventre pode ser baixado clicando aqui

Posso tomar laxantes?
Os laxantes estão indicados em episódios esporádicos e pontuais de prisão de ventre e não devem ser usados de forma cotidiana. O uso rotineiro de laxantes pode trazer problemas à função do intestino e resultar em dependência.

 


Texto por: Dra. Andréa Povedano