O que é o Pé Diabético?

O que é o Pé Diabético?
O nível elevado de açúcar no sangue pode afetar nervos e a circulação sanguínea das pernas. A lesão dos nervos pode causar formigamentos, agulhadas, queimação e até insensibilidade dos pés. Desta forma, o diabético não sente as lesões e estas pioram e podem se infectar, o que pode levar a amputação de pés e pernas.

Principais sintomas:
Os principais são dores nas pernas, principalmente com exercícios, feridas que não curam, pés inchados, azulados e ressecados.

Cuidados:

• É preciso examinar diariamente os pés e ter cuidados com bolhas, rachaduras e ressecamentos.
• Evite colocar os pés de molho, pois eles poderão rachar ou ressecar.
• Nunca ande descalço, mesmo em casa
• Não tente remover calos ou verrugas com curiosos e pedicures sem treinamento.
• Use diariamente uma loção ou creme hidratante nos pés. Retire o excesso e não use cremes entre os dedos.

Diagnóstico:
Peça para seu médico examinar seus pés em todas as consultas.

Consequência do problema:
A diabetes pode levar a amputação dos pés ou pernas.

———————————————————————–

Fonte: Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular

Emoção e Coração – Jogo de Futebol

“Olha esse coração, hein. Não vá se emocionar muito com o jogo!”. Perdi as contas de quantas vezes repeti essa recomendação hoje no consultório. É dia de semifinal da Libertadores da América e quase todos os pacientes do sexo masculino fizeram comentários sobre essa partida. Somos mesmo o país do futebol e o Flamengo a maior torcida do Brasil! ⚽

De fato, não são incomuns os casos de infarto em estádios ou em ocasiões de forte emoção. Haja coração, amigo! 😅

O ataque cardíaco é uma complicação da doença arterial coronariana, ou seja, placas de gorduras vão se desenvolvendo nas artérias do coração ao longo dos anos. Isso é decorrente de uma série de fatores, relacionados principalmente aos maus hábitos de vida. Essas placas podem sofrer alguma ruptura, formando um trombo (coágulo) que pode bloquear totalmente a passagem de sangue que irriga o próprio coração, ocasionando um infarto.
Em qualquer situação de forte emoção, seja ela boa ou ruim, a primeira resposta do organismo é se preparar para uma emergência, assim, a pressão e a frequência cardíaca se elevam por ação principalmente da adrenalina e cortisol, aumentando o risco da ruptura da placa e entupimento da artéria, interrompendo o fluxo de sangue e oxigênio para o coração.

O infarto é mais comum em idosos, mas jovens também podem ser vítimas – e, quando acontece em pessoas abaixo dos 40 anos, o infarto tem mais chances de ser fatal. Por outro lado, a recuperação de jovens é melhor e mais frequente do que a de idosos.

Sedentarismo, hipertensão, colesterol alto, diabetes, obesidade e uso de drogas são fatores de risco para infarto. Por isso é fundamental ter hábitos saudáveis e fazer acompanhamento médico para controlar essas condições. Afinal, queremos assistir o jogo em paz e com emoção!

Por acaso, hoje também ouvi uma música sertaneja que diz que uma dor no peito é melhor que seja infarto do que amor. 🤔 Gente, por favor, tomara que seja amor, né? Infarto mata!

Para os que forem de futebol: boa partida mais tarde! Para os que sofrem de amor, amem a si primeiro. Para ambos, curtam, mas sem exageros. Queremos todos saudáveis para acompanhar muitos outros jogos e amar bastante!

 


Escrito por: Dr. Felipe Manzano

O assunto é Prisão de ventre: Eu tenho???

A prisão de ventre é definida pela diminuição da frequência das evacuações e/ou a presença de fezes endurecidas, secas, com esforço excessivo para evacuar ou ainda com sensação de evacuação incompleta (sensação de que a evacuação não foi suficiente).

Geralmente, a frequência normal da evacuação pode ir de duas evacuações por dia até três evacuações por semana. Assim, uma pessoa que evacue a cada três dias, cujas fezes sejam macias ou moldadas, sem esforço excessivo para expulsa-las ou sem sensação de evacuação incompleta, é considerada sem prisão de ventre (normal). Já outra pessoa que evacue todos os dias, mas as evacuações sejam com esforço, ou com sensação de evacuação incompleta, e as fezes sejam largas, secas ou endurecidas, é considerada com constipação intestinal (prisão de ventre).

A grande maioria das prisões de ventre acontecem por alimentação inadequada, ou seja, porque comemos muitos alimentos que “prendem”, porque comemos poucos alimentos com fibras (bagaços e vegetais folhosos), porque tomamos pouca água durante o dia, ou por uma combinação destes fatores.

Como tratar a prisão de ventre?
A maioria das constipações intestinais, são tratadas com a mudança dos hábitos alimentares e do estilo de vida.

A diminuição do consumo de carboidratos e o aumento do consumo de fibras e água, assim como a prática regular de atividade física, resolvem o problema na grande maioria dos pacientes. Uma orientação geral de dieta para melhorar a prisão de ventre pode ser baixado clicando aqui

Posso tomar laxantes?
Os laxantes estão indicados em episódios esporádicos e pontuais de prisão de ventre e não devem ser usados de forma cotidiana. O uso rotineiro de laxantes pode trazer problemas à função do intestino e resultar em dependência.

 


Texto por: Dra. Andréa Povedano