Novembro Azul: o câncer de próstata não é o único a afetar os homens

Não é só o câncer de próstata que acomete os homens. (Ilustração: André Moscatelli/SAÚDE é Vital)

 

O câncer representa o maior medo dos homens em relação à saúde, de acordo com o levantamento “Um Novo Olhar para a Saúde do Homem”, conduzido este ano com mais de 2 mil brasileiros de todas as regiões do país pela revista SAÚDE. Esse receio ainda reflete estigmas ligados à doença, que hoje tem grande chance de cura. Para isso, é importante obter o diagnóstico precoce, que só é possível com exames de rastreamento frequentes.

O câncer representa o maior medo dos homens em relação à saúde, de acordo com o levantamento “Um Novo Olhar para a Saúde do Homem”, conduzido este ano com mais de 2 mil brasileiros de todas as regiões do país pela revista SAÚDE. Esse receio ainda reflete estigmas ligados à doença, que hoje tem grande chance de cura. Para isso, é importante obter o diagnóstico precoce, que só é possível com exames de rastreamento frequentes.

Para o terceiro tumor mais incidente entre os homens, o colorretal, os sinais que devem servir de alerta são: alteração do hábito intestinal sem modificação significativa na dieta, sangramento nas fezes ou dor abdominal sustentada. Pessoas entre 50 e 75 anos, mesmo sem sintoma algum, precisam se submeter a uma colonoscopia de rastreamento pelo menos uma vez, já que esse teste se mostrou útil em diminuir a mortalidade pela doença.

Assim como o de cólon, o câncer de estômago — quarto mais frequente entre o sexo masculino — tem como principal fator de risco uma dieta não saudável. Exemplos: ingestão frequente de alimentos condimentados, defumados e embutidos e em altas temperaturas. Indícios como dor ou queimação na parte superior do abdômen, náuseas ou vômitos constantes carecem de uma avaliação médica.

Mas, claro, não podemos deixar de falar sobre o câncer de próstata (que reúne 32% dos casos). Para aumentar as chances de cura da doença, dependemos quase exclusivamente do diagnóstico precoce, que consiste na realização periódica de exame de sangue para dosagem de PSA e do toque retal. Essas duas medidas, juntas, ainda são consideradas a principal estratégia a ser adotada pelos homens a partir dos 50 anos (ou a partir dos 40, se houver histórico familiar da doença).

A maioria dos cânceres apresentam pouco ou nenhum sintoma nos estágios iniciais. Por conta disso, a realização de exames de rastreamento que possibilitam o diagnóstico precoce é importante. Quanto menor e menos disseminado o câncer, maiores as chances de cura.

O aprendizado que os homens devem levar de mais um Novembro Azul? É fundamental adotar hábitos saudáveis, ficar atento aos sinais que o corpo dá e seguir as recomendações médicas.

*Augusto Mota é oncologista e membro da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica

———————————————————————–

Fonte: SAÚDE é Vital

Ilustração: André Moscatelli/SAÚDE é Vital

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − dez =